Namorando várias pessoas

"Melhor amiga"

2020.11.22 07:09 Novel_Resident_ "Melhor amiga"

( Alarme! Texto grande!! ) A muito tempo atrás na minha antiga escola eu tive minha primeira melhor amiga, porque eu nunca tive um amigo de verdade isso era muito especial pra mim, nós conversamos sempre, de intervalo até a saída todos os dias, ela era um ótima amiga até as coisas... Mudarem, ou melhor ela mudar.
1° bandeira vermelha: namorados.
Ela nunca foi uma pessoa de namorar até ela começar a gostar de um cara na minha sala, ela nunca parava de falar o quanto ela gostava dele e como ele era lindo e tals, ela falava tanto que esse acabou sendo o assunto favorito dela por meses, eu não suportava só falar sobre garotos ou em namoros ( e até hoje não é um dos meus tópicos favoritos. ) mas como eu sabia que ela nunca tinha se apaixonado antes era normal ela ficar toda hora falando dele, então eu só fui paciente, mas toda a vez que eu tentava puxar sobre um assunto diferente ela sempre dava respostas rápidas pra o assunto acabar logo, o que não era bem, muito legal. Eles acabaram namorando, yaaay. Eu finalmente achei que esse papo de garotos ia acabar mais só ficou pior, não durou muito tempo o namoro e eles terminaram bem rápido, ela passou mais um monte de meses só falando o quanto ele era babacas e tals e sla o que e novamente quando eu tentava só mudar de assunto ela continuava falando mau dele e dai pra frente todos os assuntos que ela tinha pra conversar girava em volta de garotos e namoros.
2° bandeira vermelha: Novas amizades.
Eu nunca tive problema em ter um amigo ou dois a mais, mais como ela era minha primeira melhor amiga era normal eu ter um pouco de ciúmes, a gente começou a sair um uma menina super bacana e eu não tinha nenhum problema com a presença dela, mas essa garota que começou a falar com ela não era gente boa, era repetente e também se metia em bastante briga e uns rolos aí, eu nunca fui de conversar com ela mais já a minha melhor amiga já adorou ela mas meio que essa garota ( vou chamá-la de Mara) a Mara não gostava nem um pouco de mim, era grossa, não tinha respeito pelas coisas que eu gostava e era bem violenta. Eu falei várias vezes para minha amiga ficar longe dela porque ela não era boa pessoa mas ela nunca me escutou ( ela nunca me escutava também quando eu alarma-va sobre garotos babacas que ela insistia em namorar) e então eu pensei, se ela não vai me escutar talvez eu tenha que fazer a Mara ir embora conversando com ela, então foi o que eu fiz, mas a situação ( obviamente) saiu do controle e ela fez minha amiga pensar que eu era muito ciumenta e a trouxe para o ciclo de amizade tóxico dela. Nós brigamos e depois disso paramos de nos falar por um bom tempo.
3° bandeira vermelha: Reconciliação.
Após muito tempo sem se ver, eu tinha me arrependido pelas coisas que falei e realmente acreditei que eu era apenas ciumenta e deveria pedir desculpas, e foi isso que eu fiz, eu pedi desculpas e ela também e nos abraça-mos, eu estava tão feliz, eu pensei que a gente era melhores amigas de novo e que tudo iria voltar a ser como era antes, bem não foi bem assim. Não nos falamos mais, ela criou um novo ciclo de amizade e eu também, os assuntos não eram os mesmo e acabou que o pedido de desculpas foi só pra não ter peço nas costas. Mas mesmo assim eu pensei "sem ódio, o que importa é que não estamos mais brigadas e é isso que importa" e assim foi, a vida continuou. Mas a história acaba aqui? Bem eu queria, mas não.
4° e última bandeira vermelha: Fofocas.
Lá estava eu com meu amigo ( vamos chamá-lo de Caio ) eu e ele estávamos apenas conversando no final da aula como fazíamos, mas ele estava agindo diferente. Ele não estava conversando muito e ria baixinho de vez em quando, eu não perguntei o porque pois eu queria respeitar o espaço pessoal dele e porque provavelmente não era da minha conta. Mas de repente ele para a conversa e fala: " Ei, é verdade que você gosta de mim?" Eu fiquei congelada no lugar, eu nem sabia o que disser, como ele sabia da minha quédinha por ele que eu tive no 4° ano? Eu não tinha contado pra ninguém, só pra... " Ei Caio, uh quem te disse isso?" Ele respondeu ainda com um grande sorriso em sua cara: " a foi a fulana ( minha melhor amiga ) ela disse que se gostava de mim e tals." Eu nem sabia o que responder, porque ela diria isso pra ele?? Eu fiquei furiosa, nós não éramos mais amigas mais ela sabia que o Caio era meu amigo! E melhor amiga ou não isso era totalmente babaca da parte dela contar um segredo constrangedor meu. Eu nem sabia o que responder, soltei a resposta mais rápida que pude pensar: " Ah... hehe é bem, eu gostava mesmo mais... Isso já faz muito tempo e hoje eu não sinto mais nada." Após isso eu vi seu grande sorriso totalmente desmoronar lentamente, e ficou um silêncio horrível entre nós, bem o Caio não conversou mais direito comigo depois.
eu nem sei o que pensar sobre ela hoje, e tenho medo de ela ter contado mais segredos constrangedores sobre mim. Bem foi isso, muito obrigado por ler até aqui! Até o próximo desabafo eu acho kkkk
submitted by Novel_Resident_ to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 19:28 SnooRevelations4846 ME ENTENDENDO NESSA PANDEMIA...

Sempre tive isso dentro de mim, eu apenas não aceitava e reconhecia, eu me esforçava para parecer hetero na frente de todos, sempre que passava uma menininha eu olhava para fingir que gostava para os meus amigos, mas quando eles estavam distraídos eu dava um raspão de olhada mesmo era para os meninos, eu chegava a ser até o homofóbico ás vezes, não me orgulho disso.
Para mim isso só acontecia porque eu nunca tinha ficado com nenhuma menina, até que no começo desse ano, conheci uma menina dá minha igreja na escola... então aconteceu de que nós dois começamos a conversar e nossos amigos começaram a perguntar pra ela, se ela ficaria comigo... meus amigos me perguntaram o mesmo. Eu disse que sim porque eu só estava com medo de terminar o ensino médio sem nunca ter beijado ninguém (drama teen), mas internamente eu só queria saber se eu podia sentir algo por uma menina!
Mais tarde nós nos beijamos, e eu simplesmente não senti nada! diziam que parece que tem borboletas na barriga, mas nada aconteceu, foi só um beijo sem emoções.
Na Pandemia começamos a trocar muitas mensagens e eu comecei assim... a me sentir muito hetero. Ás perguntas que eu tinha sobre mim, começaram a desaparecer. Comecei a imaginar um futuro com ela e tals, bem casalzinho mesmo. Isso foi por 4 meses, de março até um pedaço de junho. Então comecei a querer ver pornografia gay😶 Tinha certeza que era Bi nessa época. Minha mãe sabia que eu estava conversando com essa menina e foi falar para o resto dá família que eu estava namorando, daí eu fiquei tipo... tão tá né! Mandou eu chamar ela para o meu aniversário, eu chamei né, morrendo de vergonha mas chamei, tinha sido a primeira vez que agente ia se ver desde a quarentena! Contei o que minha mãe disse pra minha família e ela disse que vinha como minha namorada então. Começamos a namorar! Não foi feito nenhum pedido, mas se tratávamos como tal.
Comecei a frequentar a casa dela, se beijamos várias vezes... O negócio esquentava por diversas vezes, mas não saia do lugar, diz ela que a primeira vez queria que fosse depois do casamento, eu não via problema em esperar ela, eu também no fundo não queria, mas não sabia o porque, já que eu achava que era Bi. Ficamos assim num relacionamento de 15 em 15 dias eu indo lá. Sempre que saia de lá eu pensava: "Ai que vontade de beijar um homem" 😅. Comecei a assistir vídeos LGBTQIA+ na internet e a entender mais sobre mim. Comecei a me questionar novamente, decidi que não estava feliz indo na casa dela e resolvi terminar o relacionamento. Disse que não estava apaixonado e não sabia se um dia iria me apaixonar um dia por ela, que eu apenas gostava dela e de ficar com ela, mas achava que só ficaria por isso mesmo. Sugeri continuarmos amigos e ela disse que depois do fim de um relacionamento, ela bloqueia a pessoa total e que não fala mais com o ex. Na mesma hora, eu pensei melhor e levei ela para fora do ape dela (a mãe dela estava no quarto do lado) e disse para ela que estava em dúvida sobre a minha sexualidade! Ela me entendeu, me agradeceu por ter sido honesto com ela. Ela sugeriu continuarmos juntos porque eu podia ser BI e me arrepender depois. Em fim, não continuamos.
Duas semanas depois do término agora, eu sei que eu sou Gay! Então não poderia dar certo mesmo.
"Quero me adentrar mais na comunidade, então se alguém tiver um grupo LGBT+ que eu possa entrar, ia ser muito grato. Tenho 17"
submitted by SnooRevelations4846 to gay [link] [comments]


2020.11.14 07:34 fearaujo7 HOJE É MEU ANIVERSÁRIO

Hoje é meu aniversário, mas não consigo comemorar. Meu cachorro morreu faz pouco tempo, e apesar de eu saber que fiz de tudo por ele, tudo mesmo, ainda sinto que não foi o suficiente. Isso tem pesado bastante na minha vida, desde que ele se foi não consigo dormir, fico triste e quieto a maior parte do tempo, e quase não consigo aproveitar nada nos dias. Praticamente fico o dia deitado. Meu estágio acaba agora em dezembro e aos 30 eu não sei como vai ser daqui pra frente, se vou arrumar um emprego bom, se vou ter como pagar minhas contas. Minha cabeça não para. Eu tô namorando uma mulher muito foda, mas sempre sinto que não tô correspondendo ou que não tô sendo bom o suficiente. Ela me apoia, me ajuda em várias coisas, tá sempre tentando me colocar pra cima, mas tem algo que sempre me puxa pra baixo. Eu não consigo ver meu pai como uma pessoa boa, ou ter o mínimo de afeto por ele, esses dias ele me chamou de burro e babaca por um erro que ele cometeu, nós discutimos e eu até pensei em sair de vez, mas não saio pela minha mãe. Ele já bateu nela uma vez quando eu era mais novo, talvez isso seja um dos motivos pelo qual eu não consigo mais ter afeto por ele. Estou com 30 e não tenho muitos amigos, nem sei se tenho ânimo pra comemorar algo hoje. Minha mãe sustenta a casa praticamente sozinha agora, já que meu pai está desempregado há uns 3 anos e meu contrato do estágio acabou. Ela até quis me dar algo de presente, mas falei que não preciso e que também não quero festa. Gastar dinheiro agora só vai piorar as coisas. Enfim, estou um pouco triste e não sei bem a razão, só queria desabafar mesmo.
submitted by fearaujo7 to desabafos [link] [comments]


2020.11.11 16:56 No_Monk_7246 Relacionamento

Eu sou nova aqui, queria desabafar e ouvir pessoas que passaram pelo mesmo problema :(
Eu estou em um relacionamento faz mais ou menos 4 anos, nós terminamos em setembro do ano passado e reatamos este ano, em fevereiro. Fui eu quem terminou a relação porque eu já estava doente de cúmes por ele e não via mais sentido me relacionar com alguém em quem eu não conseguia confiar. A desconfiança começou logo no inicio do namoro, ele sempre teve várias amigas e conversava com elas como se não namorasse e para piorar nós tivemos que manter a relação por mais ou menos 2 anos à distância então eu ficava muito insegura pensando que ele poderia não estar me levando tão a sério como eu estava levando a relação... Eu sempre senti que ele me amava mas eu sempre coloquei em minha cabeça que ele deveria amar somente eu e qualquer outra pessoa no ambito de amizade que ele amasse era traição, então foi seguindo desta forma nossa relação. Até que um dia uma menina da sala dele começou a seguir ele nas redes sociais e eu acabei vendo isso, e ela mandou mensagem puxando assunto sobre um trabalho da faculdade que eles fizeram em grupo eu li toda a mensagem não tinha nada demais da parte dele, mas ela estava com intenção de algo. Eu fiquei super chateada pedi para ele excluir a pessoa das redes sociais e ele não quis, eu terminei com ele e mesmo assim ele manteve firme a ideia de não excluir ela, isso me machucou muito porque me tirou a pouca confiança que eu tinha nele. Enfim, terminei e ele depois de uns dias viu que era sério e acabou fazendo a minha vontade, reatamos uns dias depois... Apesar de toda essa historia ter um fim e tal eu não conseguia mais sentir confiança em nada do que ele fazia, nada mesmo. Até que se passou um ano e eu resolvi terminar de forma definitiva ''do nada'' falei que não queria mais que não estava legal eu estava traumatizada, etc... Ele veio atrás de mim mas eu realmente decidi que abandonaria o barco, conheci outra pessoa e ele conheceu várias outras, inclusive ficou e tudo mais, fez novas amizades etc. Passaram 6 meses mais ou menos ele terminou a faculdade e nós voltamos a nos falar e resolvemos reatar, morarmos juntos... Eu estava feliz, apesar de infernizar ele algumas vezes com desconfianças porque ainda não recuperei ela 100% mas todas eram coisas pequenas e eu sei que eram, hoje vejo que deveria ter agido de outra maneira... Porém, recentemente entrei no instragram dele e li uma conversa de junho deste ano em que estamos juntos, com uma amiga que tratava de assunto de trabalho e neste assunto ela agradeceu ele por ter ajudado ela e falou ''te pago um sorvete depois da pandemia'' e ele respondeu ''combinado'' com um coração do lado, isso me quebrou as pernas porque em nenhum momento ele disse que estava namorando ou qualquer coisa parecida, conversamos sobre isso e ele falou que era só amizade e não entra na minha cabeça. Enfim, se alguém leu isso até o fim, parabéns rsrsrs, queria que alguém me desse uma luz eu não confio mais nele isso é fato, mas ainda amo muito, eu acho que depois dessa conversa que eu li me sinto como quando ele não queria remover aquela menina das redes sociais, eu estou prestes a terminar e conhecer alguém que não me submeta a esse tipo de situação..., o que vcs fariam?
submitted by No_Monk_7246 to desabafos [link] [comments]


2020.11.07 03:52 ppzmad Solidão que me incomoda.

Pois bem, tenho 20 anos e sofro com vários problemas de saúde. Desde 2017 depois de um relacionamento desastroso, comecei a ter depressão e ansiedade, cada dia que passava, mais e mais isolado do mundo ficava,tinha uma sensação que todos me usavam e se aproveitavam de mim, uma sensação de fracasso, solidão, estagnação na vida. Como disse, sofro com problemas de saúde, todos consequência da depressão como a obesidade, problemas de estômago(hérnia de hiato e pangastrite), compulsão por doce, insônia, problemas hormonais deviado a uso de antidepressivos... Podemos ver que saúde eu não tenho, brincadeiras a parte, vendo o meu eu do passado,via uma pessoa cheia de amigos,sonhos,vontades ,autoestima e várias coisas positivas. Mas agora, sinto essa solidão, passo meu dia jogando por não ter aula( cursando na faculdade federal administração), não converso com nenhum amigo e quando converso são assuntos rasos, fico preso dentro de casa por não ter com quem sair e quando saio me sinto o "patinho feio", dificuldade para achar estágio por causa da crise econômica e da pandemia, além de ter perdido minha vó no início do ano, alguém que era muito importante para mim. Antes, bebia e usava entorpecentes para fugir da realidade,mas por causa dos remédios, passo muito mal, então sou obrigado a ficar sóbrio e aguentar as barreiras que a vida me deu. Já faço consulta com psicólogo, psiquiatra(inclusive estou em processo de desmame do medicamento) e com neurologista devido a uma doença chamada tremor essencial, tenho todo amparo familiar e boas condições financeira , mas meu interior está me corroendo, essa solidão me aflige cada vez mais! Falando sobre o gatilho da depressão, tudo começou por causa de uma menina, que inclusive sou apaixonado até hoje, depois de 3 anos , um namoro, várias meninas que passaram na minha vida, eu ainda penso dia após dia nela.Mas hoje ela está namorando e não temos mais contato, sinto carência e com isso fico com a minha ex namorada para suprir essas necessidades, sei que não é o correto de ser feito, contudo, deixo bem claro para ela as minha intenções. Resumindo esse texto mal escrito, estou estagnado em todos os sentidos, com uma depressão e um ódio dos medicamentos que me fazem mal,um sentimento de solidão, um sentimento de que todos querem me usar , fracasso afetuoso , amigos falsos e várias coisas que ficam martelando a minha cabeça. Gostaria de saber a opinião dos senhores e senhoras, como posso melhorar, tenho em mente que sou uma pessoa privilegiada economicamente e com uma ótima família, porém meu lado social e pessoal é um fracasso, tendo que me esforçar mais que os outros para realizar diversas atividades , quero opiniões e conversar com vocês.
submitted by ppzmad to desabafos [link] [comments]


2020.10.28 03:22 Thefoolcrism Eu sou de Campinas,SP E FUI CHIFRADO POR UM FUCKIN CARA DO AMAZONAS

Bem tava tudo indo de boa e tal,eu e ele conversávamos até q chegou uma hora q ele resolveu meu falar algo,eu todo curisoso levei toda minha atenção a isso kk Ele me disse "Entao....eu meio q to namorando com um outro cara tbm,ele me ajudou a sair de crises" (ele tem depressao e várias outras coisas) Eu ,sem pensar eu decidi apoiar,mas com um pouco de desconforto Ele me convidou a conhecer ele, msm n querendo eu aceitei, conversamos e tal,foi bem tranquilo Uns minutos dps,ele me fala,"ah meio q a gente ja trocou varias fts sabe.." Logo eu fiquei MT constrangido,com raiva,com medo do q poderia ter acontecido entre eles "Ah....ent...eu meio q estava em um poli amor" Isso me desabou, meu namorado ja estava com uns outros dois ao mesmo tempo (os dois caras eram um casal) Ah até ai ja ta um pouco esquisito e tal Quando meu namorado fala "Ah é q...aconteceu uma coisa....o namorado dele sumiu,ent 3u decidi namorar com ele...." Krl,quem que faz isso Ahh o cara dele simplesmente sumiu do nada...ent eu vou ficar com ele para ele n ficar triste,esse foi basicamente o pensamento dele Nós ja estávamos juntos a uns 3 ou 4 meses +/- E ele faz isso,namora com outro sem eu saber Eu larguei meu celular, fiquei triste pra krl
Ai vem a minha amiga (uma amiga próxima) pega meu celular e vê as msg Ela decide pegar o numero do meu "namorado" e conversar com ele Passou um tempo,voltei Peguei meu celular E recebo as msg dele "vc ta bem?" "Pq está chorando?" "Amor,preciso de um tempo sozinho" "desculpa" "desculpa,mas é possivel q eu n volte mais"
Nessa hora eu desabei no choro,meu mundo estava acabado,meu namorado tinha ido embora e tbm ainda tem a chance dele ter....ehh...se matado... Eu pensei seriamente em desistir de tudo sabe... Mas meus amigos me ajudaram com isso...me apoiaram,e conseguiram me deixar felizes kk Ai vem minha amiga na hora q ela tava conversando com ele e fala "amigoooo ele n te ama,ele ta te usando" "ele usa a depressão como desculpa pra tudo" "ele só te usava para tapar o buraco dele,ele n se importa d vdd com vc" Bem Como esperado eu chorei mais ainda kkk Mas ela começou conversar cmg,me ajudou a entender td oq estava acontecendo nesses meses Eu sou aquelecara q tipo,pode estar triste mas finje estar feliz para os outros n se preocuparem cmg Penso mais nos outros do q cmg msm Mas agr eu mudei essa visao Eu tenho q me preocupar cmg primeiro,me colocar em prioriade Pq se n,os outros podem acabar te usando,te machucando,te maltratando
Bem,foi isso kk Eu quase n uso o reddit,meu amigo me recomendou esse lugar aqui para eu desabafar,poderia me sentir melhor,e aqui as pessoas n julgam umas as outras kk Mt obg se vc leu até aqui,muito obrigado de verdade <3
submitted by Thefoolcrism to desabafos [link] [comments]


2020.10.17 05:28 POL4RGTS as pessoas não namoram mais porque gostam ou amam a outra pessoa

nessa quarentena conversei com várias pessoa pelo zipzop, entre essas pessoas vou citar 3 meninas:
a primeira é a periquitosvalda, conversei com ela durante 1 ou 2 meses mais ou menos, pegamos intimidade, conversávamos sobre tudo, inclusive “safadezas”, ela chegou a me mandar nuds, e lógico que gostei.
esse negócio dos nuds ficou durante dias, até que ela começou a namorar, fiquei de boa, mas bugado.
e com as outras 2 meninas a jucelina e a bucetilde aconteceu as mesmas coisas, trocamos nuds quase todas as noites (aconteceu em períodos diferentes) e foi muito bom, até que as duas também começaram a namorar e fui deixado de lado. mas por mim estava tudo bem.
só que fiquei pensando, as pessoas não namoram hoje em dia porque amam ou gostam da outra pessoa, e sim para ocupar um vazio, onde um chama o outro de amor mesmo sem amar. namoram para não ficarem sozinhas, porque tem medo da solidão. pensa só, uma noite conversando safadeza com uma pessoa, e no dia seguinte namorando, não é estranho?
bom, esse é meu modo de pensar, desculpe se me expressei errado ou se ofendi alguém.
tamujuntu garaio <3
submitted by POL4RGTS to desabafos [link] [comments]


2020.10.12 06:00 vini_paviotti Não sei mais oque é real

Antes de tudo, eu queria poder conversar com alguém, alguém que não me julgasse, e não me conhecesse também. Bem, faz algum tempo que fui diagnosticado com ansiedade, desde criança eu tinha alguns sintomas, mas agora nos meus 18 anos isso se agravou, creio que evoluiu para um quadro de depressão, ainda não sei bem, pois ainda vou no médico, e tudo piora com as minhas experiências de vida, que vou conta algumas aqui. Já faz um tempo, eu tinha namorado uma garota, ela tinha vários problemas também, e um deles era anorexia, eu tentei de tudo para ajudar, e ela obteve uma melhora, mas depois de tantas brigas, e discussões, a gente optou por terminar, isso me desgastou demais, enfim, cada um foi pro seu canto. A pouco tempo, conheci outra garota por um amigo meu, que havia ficado com ela, quando a gente começou a se falar eles já não se falavam mais, e bem, posso dizer pra vocês, no início, quando estávamos ficando eu não queria nada sério, porém, ela sim queria, e no fim eu acabei namorando com ela, acabei gostando muito dela, pode se dizer, que eu comecei a amar de verdade, mas eu, mais uma vez, fiz merda, e terminamos pelo mesmo motivo, pois sou uma pessoa triste, e paranóica demais, eu acho que sempre estão contra mim, ou que estão me traindo, mesmo que eu não tenha motivo nenhum para acreditar nisso, enfim, ela terminou comigo perto do meu aniversário, no início não doeu tanto, mas depois, acabei ficando muito mal, por conta de mentiras que falaram pra mim sobre ela, acabei ficando muito mal, até que resolvi esclarecer tudo um dia, que era justamente o dia do meu aniversário, e de longe foi o meu pior dia, ela me ligou e meus amigos estavam todos preocupados, pois nesse dia, eu tentei me matar, engoli muitos remédios, por sorte ou azar, eles não eram tão nocivos assim, só senti muito sono, quando eu voltei do hospital, todos, inclusive ela, tinham me mandado várias mensagens, nesse dia eu não parava de chorar. Desde então, eu e ela nos falamos as vezes, e hoje em especial, eu tava muito mal, e resolvi mandar uma mensagem pra ela, ela disse que queria conversar comigo também, disse que se eu sentisse no meu coração, eu e ela podíamos se falar pessoalmente, ela disse que não sabia quando, mas teria que ser em uma sexta, a mãe dela antes não queria que a gente se falasse quando terminamos, mas agora, ela disse que eu e ela poderíamos conversar pessoalmente, eu falei coisas muito rudes pra essa garota, mas cara, eu sinto de verdade que eu gosto dela, só não sei se ela gosta de mim ainda, ela disse que quer falar comigo pessoalmente, só não sabe quando, pois segundo ela, temos que esperar a poeira abaixar, ela fala que gosta de mim aínda, e que nos podíamos até retomar o relacionamento, mas eu não sei, pois todas as pessoas a minha volta eu não consigo confiar, cada um conta a sua versão, sobre mim, sobre ela, enfim, esqueci de mencionar, mas eu tenho vários vícios, drogas, pornografia, e por aí vai, e isso tá acabando comigo, eu não sei mais oque é real, e oque não é, estou confuso, eu essa garota iremos fazer uma chamada terça, eu disse para ela me chamar, vou esperar dela isso, mesmo se por ventura ela ligar pra mim, eu não sei se eu devo encontrar com ela novamente, ela disse que iria me ouvir, e se eu me tratasse, e buscasse ajuda, eu e ela podíamos reatar, eu não quero me alimentar com falsas esperanças, mas eu ainda amo muito ela, e não sei se devemos ter essa conversa mesmo, minha cabeça tá uma confusão, eu não sei mais em quem acreditar, não vejo mais motivos para estar aqui, eu de verdade, tô muito mal. Desculpa pelos erros de português, e perdão se ficou meio confuso, afinal, a minha mente tá uma confusão...
submitted by vini_paviotti to desabafos [link] [comments]


2020.10.05 02:47 umathrowaccqualquer O amor é como uma florzinha que alguém planta em você

E a minha está morrendo.
Veja, não é a primeira vez que eu reparo esse comportamento vindo do meu namorado, e já reclamei várias vezes, então falta de conversa nunca teve (sempre me dão esse conselho de "ir conversar, diálogo é importante"). Eu sempre espero que a pessoa que eu esteja namorando se importe comigo, se esforce comigo e cuide de mim (até porque, é o que eu faço), então eu vim reparando nesses últimos meses que isso não anda acontecendo mais, se é porque ele quer que seja assim ou não, eu não sei.
Já tivemos um episódio de término antes e ele era muito mais carinhoso e atencioso quando tava tentando me ter de volta do que agora que a gente voltou. Toda a vez que eu tento conversar é sempre uma luta pra arrancar que seja uma palavra dele, se não, vai ser só "kkkkk". Parou de perguntar se eu tô bem, definitivamente, só pergunta quando eu pergunto (e as vezes, NEM ASSIM). Se eu to mal, e externizo isso, o máximo que ele vai dizer é "coitada", "lamento", mesmo ele dizendo várias vezes "pode contar comigo pro que der e vier, eu vou estar presente" sendo que o máximo que ele já me ofereceu de presença foi uma carinha triste. Inclusive ele só realmente corre atrás de tomar alguma providência quanto a minha tristeza quando eu estou chorando de soluçar, fora isso, ele só vai falar "fica bem" e ver alguma porcaria no celular (digo, live ou video).
Eu tenho um amigo virtual que, nossa, o carinho é o diferencial pra mim. Sempre pergunta se eu tô bem, como é que foi o meu dia, e se foi tudo muito ruim é sempre uma extensa conversa sobre isso, com direito a exaltação, palavras de apoio e tal. E eu fico muito mal de perceber que um amigo que nem me viu pessoalmente tem muito mais tato e carinho pra lidar comigo do que a pessoa que eu tô a mais de um ano junto.
É cansativo pra mim, e revoltante, de certa forma. Eu fico mais triste porque eu gosto dele, e sofreria muito se um outro término acontecesse. Mas eu também tô cansada de sofrer de indiferença, de perceber que as coisas não são as mesmas mais. Tem outras problemáticas dentro da relação, que não cabe me dizer aqui, mas que também culminam no meu cansaço nessa relação que eu sei que vai acabar um dia, só não sei quando.

Enfim, é isso meus amigos, bom início de semana a todes!
submitted by umathrowaccqualquer to desabafos [link] [comments]


2020.10.02 16:14 JCrystalZ As pessoas que tenho interesse não gostam de mim e vice e versa. (Desabafo)

Sabe, acredito que o fato de eu perder interesse muito rápido nas coisas tem influência nisso. Também, é difícil eu ter interesse romântico/sexual em alguém, pois os tipos de pessoas que gosto são "excêntricas", e é meio difícil eu ter vontade de ir atrás. Até porque eu só tenho vontade de pegar alguém se existe química. Aí eu vejo meus amigos, ficando, namorando, e eu aqui apenas sendo a "solteirona piadista" da turma kkkk e não é por falta de oportunidade, tive várias chances de ficar com alguém, mas eu até hoje não tive vontade e recusei todos. Mas eu ainda assim fico meio "nhe" por não achar alguém que role uma quimicazinha e eu pudesse destravar. Um dia desses eu fui numa festa e conheci um garoto interessante, a primeira impressão que tive dele foi ótima, era muito meu tipo. Aí um dia ele me chamou por mensagem e tivemos uma conversa ótima e marcamos de ficar. Mas aí depois disso, quase todos os dias ele me chama e sempre dá numa conversa entendiante pra mim, e ele apenas foca em coisas românticas. Perdi o interesse em uns 3 dias. Também antes da quarentena, me apaixonei por uma garota, e nos damos suuuper bem, e foi facinho de eu me apaixonar. Mas eu contei que estava gostando dela e ela não sentia o mesmo. Ela era muito perfeita, foi a primeira pessoa que me deixou molenga igual pudim, perdi minha pose de bandida todinha.
Estou me sentindo um pouco frustada por não ter aquela facilidade de ficar com alguém como meus amigos e conhecidos :/
Enfim, estou pensando em ainda ficar com aquele garoto, porque eu meio que estou com muita vontade de ganhar experiência (bom, desde o princípio eu estava pretendendo isso, eu tenho 0% de vontade de namorar).
submitted by JCrystalZ to relacionamentos [link] [comments]


2020.10.02 03:05 JCrystalZ Por que as pessoas que tenho interesse não gostam de mim de volta?

Sabe, acredito que o fato de eu perder interesse muito rápido nas coisas tem influência nisso. Também, é difícil eu ter interesse romântico/sexual em alguém, pois os tipos de pessoas que gosto são "excêntricas", e é meio difícil eu ter vontade de ir atrás. Até porque eu só tenho vontade de pegar alguém se existe química. Aí eu vejo meus amigos, ficando, namorando, e eu aqui apenas sendo a "solteirona piadista" da turma kkkk e não é por falta de oportunidade, tive várias chances de ficar com alguém, mas eu até hoje não tive vontade e recusei todos. Mas eu ainda assim fico meio "nhe" por não achar alguém que role uma quimicazinha e eu pudesse destravar. Um dia desses eu fui numa festa e conheci um garoto interessante, a primeira impressão que tive dele foi ótima, era muito meu tipo. Aí um dia ele me chamou por mensagem e tivemos uma conversa ótima e marcamos de ficar. Mas aí depois disso, quase todos os dias ele me chama e sempre dá numa conversa entendiante pra mim, e ele apenas foca em coisas românticas. Perdi o interesse em uns 3 dias. Também antes da quarentena, me apaixonei por uma garota, e nos damos suuuper bem, e foi facinho de eu me apaixonar. Mas eu contei que estava gostando dela e ela não sentia o mesmo. Ela era muito perfeita, foi a primeira pessoa que me deixou molenga igual pudim, perdi minha pose de bandida todinha.
Estou me sentindo um pouco frustada por não ter aquela facilidade de ficar com alguém como meus amigos e conhecidos :/
Enfim, estou pensando em ainda ficar com aquele garoto, porque eu meio que estou com muita vontade de ganhar experiência (bom, desde o princípio eu estava pretendendo isso, eu tenho 0% de vontade de namorar).
submitted by JCrystalZ to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 17:22 JCrystalZ Invadi o território da minha melhor amiga? É um problema eu ter me aproximado dos amigos dela?

O problema da história atingiu uma amiga minha e eu e alguns amigos dela estamos envolvidos nisso. É sobre ciúmes e gostaria da ajuda de vocês para ter opniões secundárias em relação a isso.
Acredito que a "bomba" explodiu no resultado da festa que a Amiga fez. Foi a festa de aniversário dela e ela convidou amigos dela. E bom, esses amigos se dividem em "grupos": amigos da escola, amigos vizinhos e eu faço parte dos amigos da igreja. E bom, ela é uma anfitriã nata, pois ela sempre recebe os amigos vizinhos dela pra passar um tempo, jogar, essas coisas. Várias vezes dormi na casa dela, ou passei tardes lá. E a casa dela é o ponto de encontro dos nossos rolês maioria das vezes. Enfim, nas vezes que passei o tempo lá, muitas vezes os amigos vizinhos dela vinham interagir comigo, e isso me fez já ter uma amizade com eles, acredito que ela não achou ruim isso, pois foi algo bem natural de acontecer por conta do tempo que passamos todos juntos.
Agora, abrindo o paranauê aqui, acredito o problema nasceu por causa da festa dela. Como eu sou extrovertida e muitas vezes a "alma da festa", acabei me aproximando ainda mais dos vizinhos dela e de alguns amigos da escola dela. Como alguns ali estavam deslocados por estarem em contato com pessoas de lugares diferentes, essa festa fez com que muitos se conhecessem e virassem amigos. E eu acredito que eu fui uma dos que mais se envolveu com o pessoal. Até que depois da festa eu tive a ideia de fazer um grupo no Whatsapp com os vizinhos e os amigos da escola que mais interagi. Então eu fui pedir à ela os contatos e expliquei o que eu estava pretendendo falando algo assim "Que tal a gente fazer um grupo com eles?" e ela não gostou da ideia, até que eu disse "Então tá bom, deixa que eu faço sozinha." mas aí ela voltou atrás e criou o grupo. E deu que (os amigos) conversamos muuuuito. Realmente o grupo foi um sucesso e agora considero alguns deles bons amigos. E um dos resultados da festa também foi que alguns se "apaixonaram" (ah, adolescentes...) um garoto que estudou antes com ela se aproximou de mim e eu gostei, e marcamos de ficar, ele até me falou que está apaixonado (mas eu não '-') e também deu em outro casalzinho, e ambos estão apaixonados e parece que querem namorar. E bom, isso tudo 1 semana depois da tal festa, onde nós nos conhecemos. E enfim, voltando pro problema, a Amiga não estava interagindo muito no grupo e teve um dia que ela apenas mandava figurinhas "tristes" e quando nós perguntamos se havia algum problema, ela não falava e depois de um tempo ela saiu do grupo. E nós (os amigos) estamos até hoje ativos no grupo. E um dia desses eu fui dormir na casa dela e teve um momento que eu estava sentindo uma vibe estranha vindo dela em relação a mim, mas não estou dando importância a isso, porque deve ser mais a minha consciência pesada. E mais tarde naquele dia, fomos para a casa de um dos amigos vizinhos e passamos o tempo juntos (o qual já estávamos agindo como amigos íntimos normalmente) e quando fui embora e voltei pra minha casa, fui conversar com o amigo vizinho que nos recebeu e ele falou que a Amiga estava agindo com ignorância com ele.
E um ponto importante desse rebuliço foi o momento que um amigo vizinho chegou em mim e falou que ela estava magoada com aquele amigo vizinho por que ele tratou ela com brutalidade e ele é o que quer namorar com uma amiga da escola dela então ela deve estar de mal com ele e por isso ela tratou ele com ignorância. E também, esse garoto falou que ela não gostou de todos nós termos nos aproximado e agora ela está se sentindo excluída e insuficiente. E isso sem contar que ela sente atração em dois amigos vizinhos e age com ciúmes com eles e acredito que principalmente agora, que um está quase namorando com a amiga dela e o outro que ficou com outra amiga dela na festa (não mencionei antes). E isso ela age algumas vezes com frieza com eles e comigo, não sei se com as amigas dela também. E eu estou sentindo que virei um incômodo pra ela, por ter iniciado aquele grupo, mas eu amo muito ela e ela também sempre me demonstrou isso. Naquela conversa em que o amigo vizinho me contou o que ela estava passando eu falei pra ele que eu estava pensando em me afastar deles e não ser mais um ameaça pra ela.
Mas ele falou que não queria isso e outro amigo vizinho até falou que me ama. E eu sinto o mesmo por eles.
Eu estou me sentindo muito desconfortável quando converso com ela, eu já nem chamo ela no Whatsapp por conta do medo, apenas estou a respondendo. Mas eu estou planejando conversar pessoalmente com ela quando a poeira baixar, eu quero entender com clareza o que ela sente. E na minha opnião isso tudo é um ciúmes desnecessário, mas eu fico com esse medo por conta do garoto ter me falado que ela está se sentindo insuficiente, então eu estou em silêncio em relação a isso, pois não quero confrontar ela e acabar estragando a amizade sendo uma insensível. Estou sentindo que invadi uma propiedade privada dela, sabe. E estou curtindo isso, mas estou com a consciência pesada por eu estar possivelmente magoando uma amiga muito importante, mas acabou que eles se tornaram boas coisas pra mim e também não quero me afastar deles, e nem eles de mim...
Obrigada se você leu até aqui e se vai me ajudar comentando sua opnião c;
submitted by JCrystalZ to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 03:19 cnt_d_jgr_fr Uma ajuda aqui, /r/ desabafos.

Já pensei em fazer este tipo de post várias vezes antes, nunca seguia em frente, dessa vez decidi publicar. Já moí e remoí inúmeras vezes como começar, e escolhi esse jeito que foi diferente de todos os outros que pensei. Desculpem, eu escrevo muito, e não sei se vocês irão ter paciência de ler tudo. Se sim, obrigado;
É difícil saber onde começar, mas provavelmente deve ser pelo mal raiz: A depressão. Eu convivo com ela e a ansiedade já fazem anos e anos. Eu desde criança fui alegre, esperto, inteligente, (bem acima dos demais ao meu redor, que me cedia elogios de todas as partes) mas no geral, normal como qualquer um. Eu não sei se vou conseguir descrever todo o processo, mas a partir do final da adolescência se não me engano isso começou. No começo meus pais não ligaram muito e nem eu, mas com o tempo, foi piorando. Fui perdendo o gosto por coisas que sempre gostei, não tinha mais graça jogar video game que desde criança eu o fiz (e hoje em dia tenho inglês de nível avançado que aprendi como auto-didata) ou assistir alguma coisa de comédia, seja de qual tipo fosse. Hoje em dia é raro. Eu deixei passar e ela nunca ficou tão ruim, achei que não iria piorar, agora ela tomou conta de uma maneira que eu não consigo sentir. Eu acordo, levanto, como, sigo o meu dia, mas pareço um robô na maioria das vezes.
Existem circunstâncias que pioraram, eu sempre fui o risonho que fazia piadas e gracinhas, mas desde cedo tive a visão eu sabia que caso o palhaço saísse de cena o show iria acabar, e assim foi. Minha família sempre foi normal pra todos, mas entre 4 paredes ninguém sabia o que se passava, desde criança meu pai bebia, e isso causava brigas, xingamentos, até agressão acontecia. Acabou minha época de se palhaço quando a depressão piorou e a família agora tá pior que nunca. Minha mãe seguiu sempre com ele, acabavam as coisas ruins e tudo voltava ao normal. Ele nunca teve muita força emocional, quando acabava o dinheiro, ou aparecia uma dificuldade, queria afogar tudo no álcool. Minha família também nunca foi de sair, e eu sempre gostei de ler, de exercitar a mente de tudo que é jeito, e não saí ou fiz amigos quando me mudei. Cada um tem seus hobbies, eu sempre escutei isso e achei que apesar de ruim não era tão debilitante. Porém os anos passaram, passaram, passaram, hoje no meio de tantas crises (como a de 2008 por exemplo) meu pai já não tem mais emprego, e com todas as coisas que aconteceram voltou a beber. Problemas, dívidas, brigas, polícia, mais brigas, mais dificuldades, e tivemos que nos mudar pra uma cidade pobre e pequena. Minha mãe pensou que iria melhorar a nossa situação, resultado: Não melhorou.
Eu não tenho emprego (e duvido que encontraria alguém que me cedesse uma vaga, pra ter que toda hora tirar licença por causa de ansiedade) e os tratamentos que fiz nunca deram certo (só me deixaram pior) o que não é surpresa já que nunca morei em uma casa com uma família "normal" tem anos e meu stress está absurdamente alto. Não me dou bem com ele mas ainda convivemos todos juntos vivendo às custas do mesmo. Ele sabe que tem que nos ter perto pois a família mesmo não quer ele na casa deles. Minha mãe tbm n tem condições de trabalhar, meu pai voltou com a bebida e só deu uma trégua porque tem medo da pandemia mas ainda assim tem os dias de desespero dele que acha que se encher de álcool vai fazer os problemas sumirem, mas não sumiram e trouxeram um outro: Uma úlcera forte que é outro motivo pra ele beber e tentar mascarar a dor enorme e que recusa a tratar no médico mesmo com meu tio e tias querendo ajudar.
No presente, estou com 29 anos, nunca tive uma namorada, uma companheira, alguém pra dar e receber suporte nos momentos bons e ruins, isso porque sempre tive vergonha e achei que podeira acontecer como nos desenhos ou na TV e ter alguma que acabasse se declarando pra mim e não me fazer passar por isso. Nunca aconteceu. As pessoas dizem que ser BV e/ou Virgem são coisas impostas pela sociedade e não nos devemos se sentir mal por isso, mas a solidão dói. Dói muito. À noite é horrível, HORRÍVEL. Nem pra ser como uma dessas pessoas que arranjam uma mulher burra ou que também só tem interesse em um relacionamento rápido pra não ficar sozinha eu tenho sorte, parece que é uma opção inexistente e isso me deixa em um desolamento enorme. Sempre me achei feio ou estranho, fiz uma auto-reflexão e vi que não sou, e que existem casos piores, mas ainda assim todos ao meu redor estão conseguindo alguém, casando ou namorando ou movendo a vida pra frente.
Recentemente comecei o noFap porque vi vários benefícios que todos que tentam reportam. Após alguns dias tive um dos primeiros benefícios e senti mais disposição, mais confiança, só de sair na rua por causa de um compromisso consegui atenção de uma vizinha que morava aqqui por perto sendo que ela só me cumprimentava casualmente. Um dia depois e seguinte, voltou uma depressão, mais forte, sem vontade de fazer nada, sem apetite, e nenhum dos benefícios continuaram. Pretendo seguir mais, só que vai ser difícil porque minha cabeça tá MUITO mal.
Enquanto tava digitando esse post, no dia que pensei em mandar e não mandei, tava tão desesperado que tive pensamentos de acabar com tudo. As outras vezes que tive isso estava em situações ruins também em todos os lados. Pra piorar agora tem essa pandemia: Mesmo que melhorasse da D + A, não há empregos. Mesmo se quisesse ir pra algum lugar, há o risco. Estamos sobrevivendo da aposentadoria e de auxílio, e o dinheiro está acabando além do fato de que os problemas alimentam uns aos outros. Minha época de maior disposição física e maior apetite pra relacionamentos passou, e o tempo continuou correndo vertiginosamente. Queria perguntar à vocês o que eu poderia fazer pra tentar sair dessa, porque dessa vez tá muito difícil. Posso responder mais perguntas caso tenham alguma.
submitted by cnt_d_jgr_fr to desabafos [link] [comments]


2020.08.31 02:36 HedgehogFriendly Me ajudem a confortar a dor que sinto

Olá a todos!
Tudo começou quando entrei na universidade em 2018. Lembro que o coordenador do curso me perguntou se eu queria ter aula até quinta feira (1° período é bem fácil em engenharia), obviamente que concordei. Jamais pensei que passaria por um dos maiores sofrimentos da minha vida. Lá estava ela, uma menina linda, juro que tentei, mas não consegui controlar meus sentimentos e logo estava apaixonado por ela. A respeito de mim, sou extremamente tímido, sofro de ansiedade,depressão, não tenho amigos e também sofro de solidão. Por várias vezes tentei estabelecer um contato visual com essa menina, mas sempre com cautela pois sei que não sou nem um pouco atraente e ela nunca me deu atenção, ela sabia que eu gostava dela ou pelo menos acho que sabia. Foi assim durante toda a cadeira de física I, quando eu via ela ficava tão nervoso que ficava sem reação. Não era para ter cultivado isso, só sofri por tudo isso. Uma vez doeu muito em mim, tentei olhar para ela e de forma bastante fria ela me ignorou, foi uma das piores coisas que senti na minha vida, meu coração doeu. Mesmo assim, iludido, tentei fazer algo maluco e criei um Instagram com a minha foto (maior vergonha da minha vida) para tentar seguir ela, mas ela não me aceitou, eu tinha um total de 0 seguidores quando mandei a solicitação kkkkkkkkkk. Depois disso só tive contato com ela na última prova da disciplina, percebi que ela olhava para mim, mas, depois de tudo isso, não consegui olhar para ela (sofro de ansiedade). Nunca mais paguei uma cadeira com ela, mas a primeira vez que ela me viu na universidade depois desse acontecido, colocou um olhar para mim que não consegui identificar, não sei se ela estava com pena de mim ou vontade de chorar, mas era direcionado para mim. Ela me tratou muito mal, eu tinha sentimentos por ela e talvez isso tenha pesado na consciência dela. A segunda vez que ela me viu deu um sorriso para mim, talvez de vergonha alheia. Depois disso não olhou mais para mim. Em nenhuma dessas situações tive coragem de agir depois de tudo que já tinha sofrido, todas as rejeições. Eu continuei gostando dela, por mais que não conseguisse demonstrar. Na metade de 2019 o inferno aconteceu, vi ela namorando com outro cara e fiquei bastante triste, não aguentei e me abri para ela, ela se mostrou compreensiva, deu um sorriso para mim, mas, obviamente, ela já estava namorando. Meu mundo caiu, não por causa de uma rejeição, mas por causa da minha vida porque sou uma pessoa muito triste, desde sempre, nunca tive amigos, é o que eu mais quero para minha vida, ter amigos com quem conversar. Além disso, também sofro de ansiedade social, coloquei na minha cabeça que era uma pessoa normal e tentei mudar, mas foi um desastre, só me machucou. Eu estou muito triste agora neste período de pandemia pois não estou saindo de casa, estou muito para baixo, cada vez mais depressivo, queria desabafar. Minha depressão é algo mais profundo, minha vida não foi e não é fácil, a rejeição é um problema comum para mim porque fui rejeitado pela minha família biológica e sou filho adotivo e por esse motivo tenho tanto medo de ser rejeitado mais uma vez. Me perdoem a ortografia, estou muito ruim no momento.
submitted by HedgehogFriendly to desabafos [link] [comments]


2020.08.30 15:46 Luckman28 Decepcionado: Várias decepções com ela como namorada e agora mais uma com ela sendo Ex

Conheci uma mulher cerca de 4 anos atrás e no momento em que a conheci percebi que queria algo sério... Além de ser gentil, bem humorada e muito bonita, ela fazia eu me sentir bem e querer tê-la por perto, porém mal sabia eu que eu estaria entrando em um namoro onde eu seria a pessoa que sofreria de um relacionamento abusivo sem nem perceber que era abusivo e agora após me libertar disso, a pessoa continua a me decepcionar.
[Resumo (quem quiser ver as decepções é só pular o textão)] Ficamos juntos durante quase 3 anos, iniciando namoro 1 mês após termos nos conhecido (maio/2016 até dezembro/2019)... Na época que eu a conheci fiquei cego, deixando de lado relacionamentos com amigos de longa data, cortando laços com as pessoas que eu estava ficando e inclusive me afastando de minha própria familia... Tenho 28 anos, não me considero feio, sou formado, pós graduado, fluente em inglês, tenho carro sedam do ano, apartamento, sou músico com formação, acho que sou esteticamente bonito, trabalho em uma startup tendo um cargo de confiança e um salário bem acima da média... porém eu não ligo para nada disso, apesar de ser algo para me gabar, poucas pessoas sabem dessas coisas que alguns consideram qualidades, e não, não sou filho de papai, sou da periferia e batalhei muito para chegar onde estou, enfim.
Durante o início do namoro tudo eram rosas, até que as primeiras brigas e discussões começaram a acontecer e eu vi quem realmente ela era... Resumindo bastante o que rolou: já fui agredido, ela era extremamente ciumenta, tinha que vê-la todo dia da semana, recebia xingamentos, ela dizia coisas para me ferir de propósito, extremamente criticista, mentirosa e manipuladora... Eu praticamente virei um capacho dela. Ela não possui muitas condições financeiras e eu por ja ter conquistado uma certa estabilidade a ajudei e de diversas formas: de meia, eletrodomésticos, pagar faculdade e dar celular até viagens internacionais (sem cobrar 1 centavo dela), podem imaginar quaisquer outros mimos, dentro desses parâmetros... E não fiz para contar ao mundo, fiz porque a amava e queria que ela tivesse o maior conforto do planeta e ficasse feliz.
[decepções] Durante o namoro as decepções que acumularam giram em torno de ela ter mentido várias vezes, descobri através de um amigo que ela mantinha contato e enviava mensagens e fotos a ex namorados (um dos motivos que levaram ao término), descobri também que aparentemente só eu amava nesse relacionamento, que o motivo de ela estar comigo era puro interesse e porque para ela o namoro era cômodo.
Agora nessa pandemia ela voltou a ter contato comigo, me mandando mensagens constantes dizendo que queria voltar, aparentando ter mudado, pedindo desculpas e tudo mais, porém ontem eu descobri que ela está namorando há um bom tempo e mesmo assim ela tem agido com o atual dela da mesma forma que agiu durante o nosso namoro... Simplesmente perdi meu chão em saber que ela estando já com alguém ela tem me enviado mensagens querendo voltar, além de ter me pedido dinheiro emprestado (não emprestei), pedindo conselhos e me chamando para sair!!! O pior de tudo isso é que ela não me falou que está namorando com alguém ou seja estava querendo me usar, está usando outra pessoa e ninguém estava sabendo de nada!!!! (Agora eu estou, o cara lá eu não sei)
É triste saber que alguém dessa forma existe e mais triste ainda é por eu ter me envolvido com alguém assim.
submitted by Luckman28 to desabafos [link] [comments]


2020.08.17 02:59 gimme-that-potato Uma das melhores decisões que tomei foi começar a tomar remédio para depressão

Olá, meus queridos.
Como o título sugere, venho aqui compartilhar minha experiência, pois acredito que possa acabar ajudando alguém aqui. No mais, vou poder pôr algumas ideias em ordem e poder dar uma desabafada. Tentarei ser breve, mas sei que não vai rolar rs, e acredito que meu texto não será tão linear.
O negócio é o seguinte: nunca fui apaixonado pela vida, de modo geral. Sempre fiz minhas coisas e tudo mais, mas essa tendência já me fez ficar para baixo (talvez algumas vezes depressivo) em algumas partes de minha vida. Nada disso me impediu de viver normalmente, sentir alegria, felicidade, paixão, correr atrás do que gosto, etc.
Acontece que ano passado estava em uma época braba. Havia terminado a faculdade, saído do emprego para prestar um concurso que não passei, e estava desempregado. Porra, estar desempregado é foda. A sensação de ficar em casa sem produzir é péssima.
Chegou uma hora que quis me cortar. Nada de suicídio, e nunca acreditei que pudesse fazer isso (apesar de estar com a constante sensação de querer nunca ter nascido), mas não deixa de ser um sintoma bem preocupante. Quando comecei a me dar uns pequenos cortes (escondidos), entendi que era hora de voltar pra terapia. Voltei para a mesma psicóloga que conheço há uns anos e confio bem.
Cabe aqui fazer um parênteses sobre depressão: há vários jeitos de melhorar esta doença. Contudo, tem um estudo recente que analisou a mistura entre dois tratamentos variados (ioga com psicólogo; meditação com psiquiatra; prática de esportes com meditação; etc.), e a melhor combinação de tratamento encontrada foi: acompanhamento psicológico junto com psiquiátrico. Não significa que tem que deixar outros tratamentos de lado, mas essa foi a melhor fórmula comprovada para combater.
Outra coisa: se você quer buscar um psicólogo, o que super recomendo, não importa a linha que ele ou ela segue. Freud, Lacan, Jung... nada disso importa. São ferramentas elaboradas para chegar em um mesmo objetivo. O que importa é você encontrar alguém que você vá com a cara. Alguém que você confie em desabafar. Não adianta conversar com um psicólogo pica das galáxias se você não se sente à vontade com ele.
Enfim. Começando a terapia, comecei a perceber diversos outros sintomas. Já não estava com a mesma concentração de antes. Me perdia no meio de frases. Estava me desconectando do mundo. Até atividades mais prazerosas estavam soando trabalhosas ou cansativas demais para mim. Meu prazer em coisas comuns, como comer algo bom, estava diminuindo. Foi a primeira vez que minha psicóloga sugeriu eu procurar um psiquiatra para me ajudar.
De início me senti mal, pois nunca tomei remédios para a cabeça. Mas depois veio um certo alívio: eu simplesmente estava doente, como uma gripe, e talvez precisasse só tomar um remédio. Você tem ideia de como é um alívio entender que sua mente te prega peças, e o motivo de você estar mal pode ser simplesmente algo fora de seu controle? Como uma mera desregulação hormonal, ou falta de algum receptor no cérebro, algo assim.
Falando com o psiquiatra, ele me passou um remédio relativamente novo, que, a grosso modo, estimula a produção de receptores de certos neurotransmissores na minha cabeça. Em outras palavras, ele estimula o cérebro a "captar mais prazer", ao invés de criar o prazer em si (como uma droga ilícita geralmente faz). Tanto é que é um remédio de tarja vermelha, e que não vicia (apesar de dar efeitos colaterais).
O início do tratamento foi bem ruim. O primeiro efeito colateral era a sensação de estar sonhando, ou na beira de uma grande ansiedade. Como se eu estivesse caindo, mas aquela sensação de "estar caindo" tivesse durando minutos. Isso me fez aprender a deixar rolar, sabe? Eu sabia que era um efeito do remédio, então não podia fazer nada, senão deixar acontecer, seguir com a maré. Eu diria até que eu pude aproveitar minha ansiedade. Sentia que era o remédio que me causava essa aceleração, mas que era ao mesmo tempo ele que me possibilitava ter esse "freio".
Outro efeito ruim foi o sono. Na verdade era mais uma vontade incontrolável de bocejar em si do que sono.
Como um outro possível efeito era falta de libido, óbvio que nos primeiros dias a primeira coisa que fui testar foi a masturbação. Confesso que foi bem difícil chegar no orgasmo, parecia que eu ia criar fogo com as mãos hehe. Por outro lado, um tempo depois minha libido até melhorou, pois minha depressão me fazia não querer buscar sexo. Minha namorada me apoiou durante tudo isso e entendeu, quando conversamos, que o sexo poderia piorar, o que felizmente não ocorreu.
Depois esses efeitos melhoraram (acredito que em até 2 semanas). O de sono e bocejo passou por completo, assim como o da ansiedade. Eu sentia que o remédio era um freio para minha ansiedade. Se eu fosse um carro, era como se o remédio colocasse uma trava na velocidade máxima. Sentia ele me ajudando.
Uma coisa que demorou para melhorar foi meu fluxo intestinal. Estava acostumado a ir ao banheiro todos os dias, às vezes até duas vezes (aqui cabe ressaltar que sou homem e, quando comecei a tomar o remédio no ano passado, estava com 26 anos). O remédio me fodeu com isso. Comecei a passar uns dias sem ir ao banheiro, ou ficar totalmente desregulado. Hoje, meses depois, isso já melhorou 100%.
Umas semanas depois comecei a ter um pouco de insônia, que até hoje vem e volta, mas nada que me atrapalhe.
Mas nada disso chega perto ao que o remédio me proporcionou: a capacidade de sentir prazer banal, no dia a dia, como ao ver um pôr-do-sol, ouvir uma música foda, ou comer algo gostoso. Hoje nem parece que eu tomo remédio. Faz parte da minha rotina: eu acordo, tomo meu comprimido, meu café, e sigo com o dia. Às vezes penso que deveria ter buscado um psiquiatra antes.
Claro que o tratamento é temporário. Eu sinto um pouco de falta de poder "curtir mais minha angústia" quando não tomava remédio, pois isso me ajudava a compor música ou escrever algo. Hoje me sinto melhor sabendo que estou mais pronto para terminar o tratamento (que demora no mínimo 6 meses, se não me engano até 2 anos). Também sei que, se voltar a ficar mal daquele jeito, tenho mais ferramentas para usar ao meu favor.
Se você está mal, não tenha vergonha de procurar um psiquiatra. Não coloque barreiras que não existem. Se você estivesse com febre, você iria no médico. Pode ser que sua depressão seja simplesmente uma reação física de seu corpo, e não uma mera falta de vontade (aliás, acho que nunca é, pois vontade de estar bem todo mundo tem). Até porque, uma pessoa com a vida 100% boa pode sofrer de depressão. Como falei, pode ser por algo idiota, como uma desregulação de seu corpo, algo hormonal, etc.
Pense nos remédios como uma rodinha extra numa bicicleta: ele vai servir de apoio para seu cérebro reaprender a andar sozinho, e, então, quando estiver pronto, vai poder andar ser as rodinhas.
Uma questão é que eu dei sorte. Um dos meu melhores amigos demorou uns bons anos para encontrar o remédio certo para ele. Ele tentou de tudo, várias terapias, e finalmente achou esse remédio (que é o mesmo que o meu, por coincidência), junto uma terapeuta de confiança. O cara até conseguiu assumir ser gay e hoje está namorando e feliz em um relacionamento, o que me deixa muito feliz.
Quando compartilhei essa história com outro amigo, ele confessou que estava tomando remédios para a ansiedade. Ele disse que era incrível poder sentir o prazer do presente ao andar de ônibus.
Comecei um trabalho novo em janeiro, e venho enfrentando altos e baixos por conta do isolamento da pandemia (não estar fazendo exercício vem ferrando com meu corpo). Mas sei que hoje tenho mais recursos para me cuidar. Ainda tomo remédio e faço acompanhamento psiquiátrico, e parei com a terapia pois não queria fazer online, embora eu ache que volte logo menos e faça por videochamada mesmo.
Enfim, espero ter ajudado alguém, ou ao menos estimulado a empatia, caso conheça alguém que esteja depressivo, ou com receio de começar a tomar remédios. Sempre fui muito mente aberta com muita coisa, inclusive terapia e psiquiatria. Mas ainda dava uma julgada com quem "parecia bem" e mesmo assim estava tomando remédio. Hoje vejo isso com mais empatia, pois nem todo mundo que parece bem está de fato bem. Quem sou eu para saber o que o outro sente, quando às vezes nem eu mesmo sei dizer o que sinto...
Se você tem algum amigo com depressão, ofereça seu apoio. Não julgue. Quando puder, insista na amizade. E não vomite suas próprias histórias. Não fale que "é falta de vontade", ou que é "frescura", ou que você conhece um "óleo essencial" para depressão. Às vezes a pessoa só precisa de alguém para desabafar, ou ao menos saber que você está lá para ela (como eu estive para esse meu grande amigo). Apesar de a tristeza poder ser um sintoma da depressão, depressão não é tristeza. Depressão é o oposto de vitalidade.
Por fim, deixo como dica de leitura o que acredito ser uma espécie de "guia definitivo" para a depressão (só não digo "definitivo" pois é uma área da ciência em constante evolução, e, CARAMBA, como eu sou grato por nascer nesta nossa época e não há 50 ou 100 anos, quando havia muito mais estigma e muito menos remédios...). Trata-se do livro O Demônio do Meio-dia, de Andrew Solomon. É um documento jornalístico que conta a história, em primeira pessoa, do escritor e sua luta para entender a própria depressão e a Depressão em si como doença. Nele há muito sobre questões emocionais, como os diferentes remédios funcionam, como a depressão afeta diferentes grupos de diferentes formas, etc. Foi o que me ajudou para ganhar conhecimento e lidar melhor com esse meu amigo (e, depois, lidar comigo mesmo). Esse mesmo jornalista faz um TED Talk muito bom aqui.
Obrigado a quem teve o saco de ler até aqui. Não sei se vou responder todas mensagens, mas tentarei. Se tiverem alguma dúvida, será um prazer tentar ajudar na medida do possível. Um grande abraço e tenha uma boa noite!
Edit: o remédio é Venlafaxina.
submitted by gimme-that-potato to brasil [link] [comments]


2020.08.16 20:11 SevenNora sou babaca por querer vingança?

Em 2019 aconteceram várias coisas que me tornaram a pessoa que sou hoje. ano passado conheci um grupo de pessoas da internet que eram de um estado longe do meu, foram muito simpáticos e me trataram muito bem, embora eu fosse um pouco diferente deles.
Passamos muito tempo juntos e essas pessoas me livrou de muitos problemas (como parar de pensar em besteiras e etc ...) o grupo era formado por 3 pessoas (exceto eu).
Vou chamá-lo de "Matos, Fla e Gab"
Fla e Gab eram namorados e Matos gostava de Fla o suficiente para querer namorar com ele também, mas como ele já estava namorando Gab, ela só ficava no desejo.
Gab e eu ficamos muito próximos, ela se tornou minha melhor amiga e conversamos muito, de acordo com ela, Fla não se importou porque ele sabia que eu não tentaria nada (e realmente não faria).
Teve um momento no final do ano em que quebrei meu celular e continuei falando com eles no Facebook e o fato de ser um pouco limitado em termos de horas online acabei me distanciando. entretanto Gab terminou com Fla e Gab e eu comecei a namorar ela.
Foi muito divertido o nosso tempo de namorados até que um dia a Matos pediu um telefonema, e segundo ela queria que nos masturbássemos no telefone, obviamente neguei e ela disse que ia tomar banho, respondi com um "ok" e segundos depois recebi uma mensagem do pai dela dizendo que eu era um pedófilo, estuprador e que era procurado pela polícia. Fiquei apavorado e com muito medo, tentei provar o contrário, mas nada funcionou.
Algum tempo depois, simplesmente me esqueci da Matos e tentei continuar com a minha vida.
Pouco tempo depois recebo uma mensagem da Gab onde ela dizia "diga-me que não é verdade ..." confundi e perguntei o que se passava e ela disse que o Matos e o Fla tinham contado que eu era pedófilo, estuprador e que Eu era procurado em mais de 15 estados. Eu disse que não era verdade, mostrei minha identidade, cartão e tudo onde tinha meus dados. Mas como sempre nada funcionou, ela me bloqueou de tudo e eu perdi todo o contato com Gab, Fla e Matos.
Uma coisa que não te disse foi que a Matos é uma cantora bastante famosa no Rio Grande do Sul, ela até vendeu livros e fez testes para o "The Voice Kids", desde então tenho tentado destruir a carreira dela, mostrando os prints dela pedindo fotos íntimas minhas. Ainda estou tentando destruí-la, mas sem sucesso.
eu sou babaca?
submitted by SevenNora to EuSouOBabaca [link] [comments]


2020.08.12 16:20 saske2k20 As pessoas superestimam os relacionamentos amorosos

Eu estava na internet e vi duas situações bem corriqueiras que me chamaram a atenção: os hábitos que as pessoas tem de tentarem ofender as outras por estarem solteiras.
Estar solteiro ou namorando tem lados bons e ruins, tudo depende do momento de vida da pessoa ou mesmo da própria pessoa. Mas existe uma ideia de que a pessoa estar numa relação é como se seu valor social fosse maior.
Talvez por isso tantas pessoas continuam em relações de merda, mentem, traem, tentam manter a fachada por conta do medo ficarem sozinhas e talvez inconscientemente por esse "valor social".
Nos meios mais tradicionais isso é ainda pior, eu até brinco que se eu chegar no meu interior falando que tô casado e com filhos teria mais valor do que eu dizer que montei uma empresa de milhões de dólares e gera emprego para várias famílias.
Sobre o título : já estive numa relação bem longa,foi boa em vários aspectos e negativos em outros, não foi como se eu tivesse atingido o Nirvana e mesmo assim a maturidade e aprendizados vieram mais dos aspectos negativos que positivos, que inclusive contribuem para que no momento atual eu dê preferência a solteirice.
submitted by saske2k20 to desabafos [link] [comments]


2020.07.30 20:23 Jaozim_capixaba_VV Frustração sexual e puritanismo. A má influência da igreja e como ela tem afetado a vida sexual de jovens da sociedade

Edit: aproveito para deixar 2 subs sobre o tema:
exchristian e exReformed (em inglês)

Vou falar sobre meu passado religioso e como isso afetou minha vida sexual.
Exemplos deste puratinismo pode ser visto em blogs como https://naomordamaca.com/ que foi um dos principais sites que eu seguia na adolescencia para buscar a abstinência sexual e me reservar para "a minha escolhida".

As frustrações sexuais são sintomas e não uma causa.
Estes sintomas, incluem a falta de atenção afetiva, de poder se abrir e ser falar com honestidade os seus sentimentos para outra pessoa, de se sentir desejado/a de ter contato físico, carícias e até sexo.
Pode ser que existam diversas causas que levem as pessoas a se isolarem deste tipo de intimidade. Se trancando em suas conhas e criando assim a frustração.
Vou citar um exemplo que destas causas que perdurou por quase toda a minha via (tenho 28 anos)
Para mim, a causa foi ter sido criado em um lar extremamente religioso que moldou minha visão de que sexo (fora do casamento) é pecado, sujo e imundo. Além disso sofri anos de abuso emocional por parte dos meus pais (e ainda sofro com isso).
Uma vez que alguém se encontra em uma situação dessas, é difícil arranjar uma solução fácil. Tem gente que vai pras drogas e sexo/vida loka, mas que acaba sofrendo por que, pra falar a verdade, sexo não é tudo. o que a pessoa buscava era uma alguém que a aceitasse por completo.
Outras pessoas, como eu, passam a se reclusar e a lutar fortemente contra estes instintos sexuais e a negar a própria vontade.
É tipo como você se obrigasse a fazer um jejum intermitente. Exemplo: "comer apenas uma refeição por dia por 5 anos seguidos".
Certamente será danoso para o corpo, vc vai ficar fraco, zonzo, ter anemia, pior desempenho e tudo mais.
Exceto pelos religiosos mais "birutas" (desculpe se ofendi) ninguém vai ficar 5 anos fazendo este tipo de jejum.
Então, voltando ao meu caso (que certamente é compartilhado por algumas pessoas com frustração sexual):
Ao ser criado neste ensino religioso Eu aprendi que:
Isto sem falar nas outras áreas da vida (mas este post já tá gigante)
Observando estes pontos, qualquer um consegue entender por que eu nunca namorei e nunca fiz sexo.
Esta vontade não era minha. eu tinha desejo de buscar felicidade ao lado de uma mulher.
Esta vontade foi imposta a mim (e vários outros jovens da minha igreja. Muitos, ainda virgens e com a minha idade).
Foi inculcada na minha cabeça. Foi uma lavagem cerebral. Também foi defendida por minha mãe.
Logo, eu, com 16 anos, tinha medo de namorar e correr o risco de levar esporro de meus pais. Eu não tinha coragem de levar uma garota pra minha casa. Na verdade, eu raramente levava amigos pra minha casa (mas aí é por causa de outros problemas).
Nestes ultimos 4 anos, eu comecei a mudar
Primeiro, eu fui perdendo a fé nas coisas da igreja de pouco a pouco.
Por incrível que pareça, o motivo não era as coisas que escrevi acima. Eu perdi a fé justamente por ler a bíblia, orar e por ir nas atividades da igreja.
Com a gradativa perda da minha fé. de pouco a pouco, fui reavaliando minhas "filosofias de vida" e todos os conceitos que eu tinha. mutos desses novos conceitos eu adquiri por mídias (livros, tv, algumas músicas) e graças a algumas comunidades no reddit.
Um dos conceitos passados que eu perdi, foi essa "pureza sexual"
Teve várias influencias para isso, mas o anime Dororo (2019) tem uma cena realmente chocante e que me fez realizarr o quão estúpido é isso de dizer que uma mulher que teve vida sexual ativa é nojenta e impura. (mas vou evitar os spoilers)
Presente:
Neste ano, entrei em um grupo do Discord que tinha acabado de ser criado. Grupo pequeno. razoavelmente fechado e certamente seguro (ou seja, tolerancia zero contra trolls)Neste grupo, a galera conversava sobre o tema principal, mas também tinha canais para publicar fotos/selfies em geral.
Decidi publicar uma selfie lá.
Passado uns dias, uma garota de lá disse:"Achei seu cabelo lindo! seria muito estranho se eu dissesse que quero passar a mão nele?"
Aí com mais um tempo de conversa, a gente começou a namorar.
É namoro a distância? é!
Pode ser que dê em nada? Sim! (Foda-se!)
Mas depois de todos estes anos me repreendendo, tentando fugir da realidade. Todos estes anos fugindo dos meus desejos...Eu finalmente estou namorando, me abrindo com uma garota, e vendo ela se abrir comigo (no sentido emocional).
Sinceramente. Estou feliz! Me sinto motivado!Quero mudar pra onde ela mora!
(Na verdade eu já planejava mudar pra lá, Mas agora estou bem mais motivado)
submitted by Jaozim_capixaba_VV to desabafos [link] [comments]


2020.07.30 04:31 RajeshDePiri MEUS AMIGOS FINGEM GOSTAR DE MIM?

Olá, boa noite.
É minha primeira vez no reddit, logo também meu primeiro post. Eu cai no reddit enquanto googlava "meus amigos fingem gostar de mim? o que fazer?" e cabei me deparando com alguns posts de desabafo aqui no reddit, então resolvi compartilhar minha recente experiência e sentimentos afim de ver se consigo encontrar um direção do que devo fazer.
Eu tenho 3 amigos. Só. Todos da época de escola. M, F e E.

MEUS AMIGOS
"M" eu nem lembro direito como conheci, a gente é bem diferente, mas viramos grandes amigos. A minha melhor amiga, na verdade. Conheço ela a quase 7 anos, no decorrer desses anos frequentei a casa dela quase todos os dias após as aulas e ao menos 5 vezes ao ano pós-ensino médio. É alguém que se me ligasse as 3AM pedindo ajudo, eu levantaria e iria ajudar, e que ela faria o mesmo, na medida do possível dela, comigo. Tenho uma relação muito boa com a mãe dela, que sempre diz me considerar como um filho.
"F" eu conheci na escola também, uns 5 anos de amizade. Mas a gente virou amigos mesmo depois que o ensino médio acabou. Na época da escola ele tinha problemas de auto estima e tinha vários preconceitos baseado em esteriotipos com gays (eu sou gay, btw.). Com nossa amizade ele desfez muitos esteriotipos que se tem sobre gays. Inclusive temos liberdade de brincadeiras com ele que com a grande maioria de outros amigos heteros eu não tenho, exatamente por eles terem a mentalidade de que gays são predadores sexuais. [não, gays não querem transar com qualquer homem que fale com eles, entendam isso por favor]. Com o tempo ele melhorou muito a autoestima , hoje é uma pessoa bem diferente da qual conheci no colégio e fico feliz dele ter compartilhado sentimentos deles sobre isso comigo, até por que ele é uma pessoa bem reservada.
"E" também conheci no ensino médio e assim como o "F" nossa amizade só floresceu depois do ensino médio. Já contou que sempre quis se aproximar durante os tempos de escola mas que tinha dificuldades, me achava legal e queria ser meu amigo. Conversamos bastante, ele tem depressão [eu também, BTW] e conversei muito com ele sobre isso, ele sempre falava comigo quando estava mal, contava quando ocorria algo que o deixava triste.

NOSSA RELAÇÃO
Minha amizade com o E e F possui uma dinâmica diferente da minha amizade com a M.
Com o E e F , que são gamers, passamos bastante tempo discord e jogando (geralmente LoL). Sempre me chamam, ou chamo eles, para jogar. Passamos praticamente 3 anos seguidos entrando discord pela manhã e desligando as 3 da manhã.
Com a M eu possuo uma relação de conversar sobre rotina, coisas da nossa vida, falar sobre assuntos em comum e etc... Ela possui ansiedade social, então sempre que a ela precisa sair para algum compromisso, geralmente eu ia com ela.

CONTEXTUALIZANDO O PROBLEMA
Durante o final de 2019 e o decorrer de 2020 eu comecei a ter algum problemas na minha relação para com eles.
Primeiramente que eu não sou uma pessoa de brigar, discutir. Eu falo meus sentimentos, exponho minhas angustias e amores. Eu deixo transparecer para a outra pessoa que eu gosto dela e que ela tem valor pra mim. Quando eu me sinto prejudicado, ou que estou prejudicando, eu chamo pra conversar. Expor os lados, combinar uma melhor forma de se comunicar. E isso sempre funcionou, expecialmente com a M.
O F é bem quieto, quase não tenho problemas com ele, mas paramos de conversar bastante nesse período.
O E sempre me chama, como eu disse, para falar DELE e nunca para saber sobre MIM. Eu me sinto um despejo de lixo emocional descartavel. Conversei com ele 2 vezes sobre isso, surtiu um efeito temporario mas logo se repete. Eu não "reclamo" mais sobre isso, apenas deixo pra lá. Ele sempre comete microagressões comigo (Ou é ignorante, ou me deixa falando sozinho, não demostra interesse na nossa relação, etc.) e eu quase sempre deixo pra lá, já que quando falo sobre não a efeito.
Tenho dificuldade de concentração e um ambiente pouco favorel pra tal esforço, então se empenhar melhor em jogos online competitivamente é dificil pra mim. Quando eu jogo com E e F, acabo ficando um pouco pra trás nas partidas. E ambos, como a maioria dos homens hetéros, brincando ofendendo. E tudo bem por mim, pq eu também brinco assim com eles. Mas durante os jogos eles pegam um pouco mais pesado, e isso me deixa mais desconcentrado e abalado emocionalmente durante as partidas e mesmo eu pedindo pra diminuirem esse tipo de brincadeira, o E só ficava cada vez mais nervoso com as percas e o F não consegue se comunicar de outra forma. Então eu deixo pra lá e sigo jogando como posso. Comecei a ser taxado de "emocionado" e "emotivo" nas entrelinhas.
Porém nesse periodo eu comecei a perceber que eles não me chamavam mais. Nao só pra jogar, o que seria totalmente compreensivel pra mim se eles quisessem subir mais rapidamente competitivamente, mas também para conversar discord. Várias e várias vezes eles estavam conversando e jogando e não me chamavam. Se eu entrava na sala do discord, automaticamente eu sentia o clima mudar para algo como "olha só quem chegou.". E assim que as partidas terminavam e eu ainda estava lá, eles enrolavam e criavam desculpas para não me chamar, mesmo eu nem solicitando participar das partidas, e saiam do discord. Quando havia mais colegas, eles conversavam e se eu falava algo eu acabava ignorado.
Não entro mais nas salas quando vejo eles online.

O GRANDE BOOM DA QUESTÃO
Nesses dias de isolamento social estou seguindo a risca, moro com minha mãe e desde que meus pais se separaram as coisas ficaram dificeis para nós. Se eu saisse e trouxesse algo para dentro de casa e ela ficasse doente eu me sentiria extremamente mal.
M me chamou para dormir na casa dela, já que não saio desde janeiro + isolamento social. Disse que não iria por enquanto por causa do isolamento.
Esse mês é aniversário do E, ele queria fazer uma festa pois acredita que o Covid é algo leve a não se preocupar e onde ele mora não soube de casos. Eu insisti que não queria colocar a vida da minha mãe em risco (além de não querer ser injusto com a M) e que não iria e ele se tornou extremamente ignorante, falando que eu não fosse então que ele não faria questão.
Deixei pra lá.
Depois minha mãe acabou que está furando a quarentena então eu decidi ir a festa com a M e dormir na casa dela por 2 dias depois e não sair mais denovo, só para agradar meus amigos e ir ver eles.
Alguns dias depois eu olhei discord e estavam E e F + alguns colegas nossos, totalizando uns 6 ou 7 pessoas na sala do discord conversando e jogando juntos.
Me senti um 0 a esquerda, alguém que não faria a diferença de estar ali ou não. Já que ninguém me chamou,
Então resolvi jogar um verde. Chamei o E e falei pra ele me avisar quando chegasse do trabalho para que jogassemos o modo novo que lançou num jogo em comum que jogamos.
Depois de 5 minutos ele me responde; "cheguei". Mesmo já estando no discord. Enquanto aguardava ele eu já jogava uma partida (duram em media 15, 20 minutos). Então ele decidiu jogar uma enquanto eu terminava a minha, a minha acabou rapido e fiquei 15 minutos esperando ele.
Assim que a partida dele acabou, os nossos colegas começaram uma juntos e ele reclamou que os meninos não chamaram ele.
Na minha frente.
Esperando ele por 15 minutos.
Então ele virou para mim e me chamou pra jogar. Neguei e disse que não era segunda opção e sai da sala.
F veio perguntar o que aconteceu, eu não queria conversar, mas ele acabou falando que se fosse pelo motivo de qual o E falou, eu estava fazendo tempestade em copo d'agua.
Acabei desabafando com a M e pedi para que ela não falasse para o E nem para o F, sendo que ela é uma pessoa que minha confiança é extrema.
Ela falou pro F.
Me senti extremamente triste, mas resolvi fingir demencia e acabei indo na festa e na casa da M.
Na festa o E ficou grudado comigo, rimos bastante. (em algum momento falando sobre games eles comentaram que jogaram com fulano esses dias, falei que conseguia ver todas as chamadas no discord, entao já sabia disso) e na casa da M, com a propriedade de 8 anos de convivência, senti que ela não queria que eu estivesse ali. Ela chamou 2 primas dela para passar o dia ali e eu acabei ficando de canto, mesmo tentando me enturmar. Não aguentei ficar 2 dias e acabei indo embora no outro dia.
Hoje, alguns dias depois, aguardando o E e o F pra jogar vi que eles estavam jogando com outros amigos e me deixaram de lado, mesmo eu tendo falado que iria esperar o E chegar em casa pra jogar. Dessa vez nao usaram discord.

Minha grande questão é:
Eu me senti muito mal com isso que ocorreu nos ultimos dias. A dor psiquica transpassou e eu senti um aperto no peito. A unica vez que senti uma tristeza e rejeição tão grande, foi quando tive minha primeira paixão e ela brincou comigo, já namorando outra pessoa. Quando minha depressão começou efetivamente. Nunca pensei que ia ter essa sensação no peito denovo. Amizades de quase 8 anos e me evitando.
Por um momento eu sinto que estou sofrendo algum tipo de manipulação ou gaslighting deles. Sendo feito de bobo, como se fosse bom me manter por perto pq eu sou idiota o suficiente pra atender as necessidades deles quando preciso. Outras que eu realmente estou sendo exagerado e que é tudo da minha cabeça.
Passei a tarde chorando hoje, por que são as unicas 3 pessoas que eu tenho realmente ativamente na minha vida. Tenho alguns amigos, mas nossas relação ainda não são tão bem cultivadas e nem temos coisas em comum para desfrutar (como os jogos por exemplo) e não sei o que fazer.
Se eu falar algo, vai ser "outro piti" para eles e logo as coisas voltam ao "normal".
Se eu ficar quieto e deixar isso rolando, meu sofrimento psiquico só vai aumentando.

Não sei o que fazer.
submitted by RajeshDePiri to desabafo [link] [comments]


2020.07.27 04:02 Enigma_Machine1 Odeio gatos

Antes de mais nada, gostaria de deixar claro que, por mais que eu odeie/não me sinta confortável perto de gatos, eu jamais prejudicaria eles fisicamente, mesmo tendo muito vontade (erroneamente, claro - talvez vocês "entendam com o meu relato). Não é disso que o desabafo se trata.
Esse é um relato meio longo.
Eu nunca convivi com gatos. Sempre cresci com cachorros em casa, tive um que me acompanhou desde a época da escola até terminar a faculdade. Amei muito ele, hoje tenho outro, um resgatado, que amo muito. Sempre amei cães, passei mais anos da minha vida com cães do que sem.
Por ter rinite alérgia, eu nunca cogitei ter um gato. E, antes de conviver com eles, eu não sabia dessa minha apatia gigante por eles. Esteticamente, até acho alguns fofos etc, mas também nada demais, longe dessa "loucura" que algumas pessoas sentem por eles.
Passei a ter um convívio maior com gatos através de uma das minhas primeiras namoradas. Ela tinha 3 gatos. Eu era bem novo, ela morava em uma kitnet, então 3 gatos já era bastante coisa. No geral eles até que eram comportados, mas lembro que acabaram estragando algumas coisas minhas (mochilas principalmente) e isso me irritava muito. Sem contar a rinite, que me deixava ainda mais irritado, mas na época eu pensava que era por estar um cômodo de uns 25m2 no máximo, sem ventilação adequada.
Eu namorei pouco menos de 3 anos com ela e foi durante esse período que a minha irritação com gatos aumentou. Uma das gatas SEMPRE dava o jeito de fugir do apartamento dela pro corredor e pro jardim que tinha no prédio. Minha ex me ligava e eu tinha que ir correndo ajudar ela a pegar a gata que, eu não entendo, morria de medo quando saía da casa (pra quê sair então, né, porra?), então era foda pegar ela, se enfiava em cada canto filha da puta de alcançar.
Os outros gatos eram um pouco mais de boa, mas a quantidade de pelos que deixavam pelo apartamento dela era um absurdo. Nem passando aspirador 2x por dia parecia que fazia alguma diferença. Minha ex não ligava, mas me incomodava ver eles estragando todos os móveis que ela tinha. Era o box da cama todo arrebentado (mesmo eles tendo arranhador), não podia ter uma única peça de decoração sobre uma mesa ou estante pois sempre derrubavam e quebravam, tinha que deixar a tampa da privada sempre abaixada pois eles davam um jeito de subir nela e não conseguir sair (burros). Até na cozinha, eu queria preparar algo pra comer e tinha pelo em tudo, mesmo se a gente limpasse.
Eu não diria que minha ex dava liberdade total para os gatos, na verdade ela sempre foi pé no chão com isso, várias vezes se irritava com a encheção de saco deles também (pra dormir principalmente - como era uma kitnet, não dava pra deixar em um cômodo separado, então era 3 da manhã e vinham encher o saco pedindo ração sendo que a porra do pote tava 90% cheio).
Enfim, terminei com ela mas o ranço pelos gatos ficou. Depois disso só tive namoradas que tinha cachorros ou então nenhum pet. Avancemos alguns anos para os dias de hoje.
Estou namorando há quase dois anos, já tenho planos de morar junto com a minha namorada, nos amamos muito e nos damos super bem. Além da parte romântica, temos um companheirismo e uma amizade muito boa, sempre apoiamos um o outro. Claro que já tivemos brigas, eu tenho os meus problemas e ela os dela, mas nada que não conseguimos superar na base da conversa. O único problema é que ela tem 6 gatos.
Recentemente, passei uns 20 dias quarentenado no apartamento dela. Está longe de ser uma kitnet, mas pra 6 gatos eu considero um lugar pequeno.
Eu tive, é claro, todos os problemas com minha rinite, mesmo tomando remédios de 8 em 8 horas pra aliviar. Se os três gatos dessa minha ex davam trabalho, o dobro deles é muito, muito pior pra mim.
Gente, nesses 20 dias eu vi cada coisa que me irritou pra além do limite. Obviamente que não demonstrei isso, mesmo ela tendo plena noção que pra mim bicho é bicho, humano é humano (eu não mimo meus bichos, trato meu cachorro super bem, mas longe de mimar com coisas que acho frescura, tipo dar banho dia sim dia não, fazer comer só T bone australiano ao molho de ervas finas, essas merdas - ele come ração, petiscos e de vez em quando frutas, só). Eu estava na casa dela, regras dela. Só que por amar tanto gatos, e mimar eles, na minha opinião, ela dá carta branca pra eles fazerem o que quiserem, sem consequência nenhuma (nunca dá bronca, não impõe limites).
Somente durante esse período: um dos gatos resolveu afiar as unhas no meu tênis novo (só não estragou pois percebi logo nos primeiros dias e depois escondi - mas encheram eles de pelos em algumas horas, eu não sei como); um outro escolheu a mochila velha da minha namorada pra vomitar bem em cima, cheia de coisa dentro. E não foi pouco. Outro gato afiou as unhas na mochila novinha dela e já arranhou uma parte dela. Tinha literalmente acabado de chegar, ela só colocou no sofá por um instante pra arrumar outras coisas e foram lá estragar.Um outro gato você não pode nem se mexer que ele se assusta, sai correndo e derruba tudo o que vê pela frente.
Eu levei meu notebook pra poder trabalhar. Deixava ele guardado quando não usava, claro, mas enquanto trabalhava, faziam questão de ficar se esfregando nele, enchendo de pelo, queriam subir na porra do teclado toda hora, tiraram ele da tomada umas 3x enquanto carregava e um dia desligaram ele no meio de um trabalho (eu estava distraído e deixei o note uns minutos de lado).
De noite era outro pesadelo. Obviamente eu não deixava nem conseguiria dormir com a porta da suíte aberta, com os gatos circulando, pois a minha rinite simplesmente me mataria. Mas é só fechar a porra da porta que começam a raspar aquela merda. Era a madrugada inteira assim, sem contar aquele miado irritante pra caralho, incessante. Puta que pariu, eu juro que me dava vontade de abrir a porta e dar um chutaço no gato no calor do momento. Claro que não fiz isso, mas a vontade realmente existiu. Pior que nem assim acho que adiantaria. E sim, já tentamos de tudo. Aqueles produtos que supostamente repelem os gatos com cheiros ruins, arranhador, tudo - só não tentei adestrar pois não moro lá e, tirando a exceção da pandemia, eu só fico no apto dela aos finais de semana, ou então ela fica no meu, enão meu convívio com os gatos nunca passou de umas 48h, o que era suportável e não exigiria adestramento. Sem contar que acho que nunca vi na vida um gato que obedece o dono.
De manhã era sempre a mesma merda. Algum gato sempre deixava um vômito de presente em algum lugar da casa. No sofá, na cozinha, em cima da mesa. Parece que escolhem sempre o pior lugar possível pra isso.
Nem preciso falar como são os móveis da casa, não? Zero decoração pois derrubam tudo. Sofás arrebentados. Toda hora pegavam coisa do varal e derrubavam. Mesma coisa com toalhas nos boxes dos banheiros. Eu tinha que me preocupar com meu note toda hora, as vezes queria só pegar algo na cozinha e tinha que esconder ele só pra não pegarem.
"Pote de comida está semi-cheio, tendo ração pra caralho? Vou derrubar ele e espalhar ração pela casa pq quero ver ele cheio sempre. A caixinha de areia tem UM cocô? Vou ficar miando o dia inteiro até alguém limpar isso, pra depois eu sair andando e não fazer as minhas necessidades. Quer ir tomar banho? Vou entrar no banheiro com você, mas no mesmo segundo que você ligar o chuveiro, vou ficar enchendo o saco pra sair. Quer dormir? Vou ficar miando na porra da porta. Quer almoçar? Vou subir na mesa e ficar te batendo com a pata pra me dar comida, pra quando você oferecer, recusar, sair da mesa, voltar em 2min e pedir comida de novo. Abriu o armário pra pegar algo? Vou entrar aqui sem você ver, deixar que feche a porta, depois vou ficar miando e, quando perceber que ninguém vai me ajudar, vou começar a ficar com medo e tirar todas as roupas do cabide. Me pegou no colo pq tô faznendo merda? Vou te arranhar e morder pra caralho (unhas cortadas, pelo menos isso). Tá concentrado vendo TV/jogando/mexendo no pc? Foda-se, vou ficar na frente da tela e se me tirar eu entro na frente de novo. Tá de boas na cama/sofá? Vou pular em cima de você do nada ou te usar como apoio pra pular em alguma outra coisa, foda-se se te assustar."
E acho que o que mais irrita é que, nem mesmo com a minha namorada, eles parecem ligar. O máximo de afeto que eles dão é sentar no seu colo, e mesmo assim tenho as minhas dúvidas se isso é uma demonstração de afeto mesmo.
Eu não sei se é o número de gatos que me deixa puto, ou se eu suportaria se fosse apenas um. Mas na real, eu não consigo gostar desses bichos. Pra mim são seres filhas da puta, egoístas, burros (não aprendem/não querem aprender nada no sentido de adestramento), nem um pouco carinhosos, estragam absolutamente tudo o que você coloca pela frente, ou seja, você vive em função deles e não tem nada em troca, pelo contrário, só despesas. Na minha opinião, viver com gatos é viver em uma prisão onde você precisa satisfazer a necessidade deles 24h por dia.
A minha única tática que funcionou durante esses dias foi a seguinte: spray d'água e espírito de porco. Se eu via algum deles fazendo merda, já corria com o spray e borrifava na cara deles. Isso me dava uns minutos de sossego, pois eles se assustavam e ficavam num canto sem encher o saco. Tem dois gatos que eram os mais folgados (80% do que comentei foi obra só deles). O que eu fiz? Enchi mais o saco deles do que eles o meu. Pegava eles no colo a cada 2 min - coisa que eles odeiam - e ficava um tempo com eles assim, até começarem a miar que estavam irritados. Eu soltava, esperava eles se aconchegarem e pegava eles de novo. No final desses 20 dias, era suficiente eles me verem pra saírem do meu caminho. Se faziam merda, eu simplesmente aparecia na frente deles e eles saiam correndo. Fiquei satisfeito pois sei que consegui controlar um pouco eles sem violência nenhuma (o que é algo deplorável e eu jamais faria, mesmo o meu ódio por eles "pedindo" isso - eu não teria coragem).
Eu só penso que, a bem da verdade, nem isso seria o suficiente pra mim a longo prazo. Eu tive que entrar em um estado de alerta 24h por dia pra borrifar o spray/encher o saco deles e eu não conseguiria viver assim por muito tempo. Meu asco por gatos é tão grande que é só ouvir algum miado que já fico irritado.
Eu imagino que a maioria aqui vai falar que não é bem assim, que nem todo gato é assim. Pode até ser, mas todos os que conheci são esses infernos na terra. Todo amigo meu que tem gato tem alguma história do tipo. De quebrar coisas caras, de machucar pessoas, sem contar que gatos são extremamente nocivos ao meio ambiente, o que eles matam de pássaros e outros animais não é brincadeira.
Sei que cães também podem fazer coisas assim, mas cara, nem mesmo o cachorro mais "destruidor" que tive chegou nesse nível. O máximo que ele fazia era mijar em lugar errado e latir quando eu ia comer.
Enfim, fica aqui o meu desabafo. Deve estar meio desconexo pois escrevi no calor do momento, conforme ia lembrando das merdas que eles fizeram. Me sinto meio peixe fora d'água postando em um site que idolatra gatos, o reddit, mas está aí.
submitted by Enigma_Machine1 to desabafos [link] [comments]


2020.07.23 20:21 sugarparkjm Sobre ser gorda e ter hernia de disco

Olá, esse é meu primeiro post e estou aqui para fazer um desabafo sobre meu peso ao longo dos anos. Vou tentar resumir alguns acontecimentos. Esse post poder ter algum tipo de gatilho para certas pessoas(?)
Eu sempre fui gordinha a minha infância e adolescência toda, mas no primeiro semestre de 2009, quando eu tinha 16 anos, eu decidi que iria mudar antes de entrar na faculdade. Eu fiz uma dieta rigorosa, inclusive tinha cortado todo os tipos de carne da minha dieta, comia o mínimo possível e fazia caminhadas todos os dias. Eu consegui emagrecer o bastante para entrar dentro do "IMC normal", mas ainda sim não me achava magra. No segundo semestre de 2009 eu entrei para a faculdade de TI e arrumei um namoradinho lá. Eu continuava com a dieta até que um dia (outubro de 2009) eu desmaiei depois que voltei de uma caminhada, minha mãe me levou no médico, fizeram exames de sangue, mediram minha pressão, glicose etc. e o resultado foi: anemia e pressão baixa. Quando voltamos do médico minha mãe me obrigou a comer carne novamente, e desde esse dia eu voltei a comer "normalmente", pois ficava com medo da minha mãe me internar (ela tinha feito essa ameaça caso eu não voltasse a comer normalmente).
Em 2010 eu percebi que tinha voltado a ganhar uns 2 ou 3 kgs... Eai eu decidi que iria fazer algum tipo de exercício físico de alta intensidade, foi então que eu entrei pro karatê. Eu confesso que eu era viciada no karatê. Eu ia para os treinos TODOS OS DIAS. De segunda a domingo. Isso manteve o meu peso estável, mesmo eu comendo muito. Eu nunca fui de comer mal, besteiras e coisas do tipo. A questão aqui é eu sempre comi muito, desde criança.... Treinar karatê me fez ficar com o peso estável por todo o tempo em que eu pratiquei. E também me fez adquirir músculos e ter um corpo bonito.
Eu treinei karatê fielmente, do ano de 2010 até 2013. Eu era muito boa mesmo. Cheguei a pular da faixa branca para a vermelha, fui aluna destaque, ganhei campeonatos, viajei o Brasil por causa do karatê. Eu tinha amigos lá, e também cheguei a namorar um faixa preta no começo de 2012. Esse cara que eu namorei era muito manipulador, e eu descobri que ele me traia também. Mas eu perdoei e continuei namorando com ele. Ele foi o meu primeiro namorado que tirou minha virgindade e eu achava que iria casar com ele. Ele tinha hábitos alimentares horríveis e acabou que eu comecei a comer as mesmas besteiras que ele comia.
Em 2013 eu comecei a fazer academia. E eu lembro que um dia, ao trocar o treino com um dos instrutores (ele não me acompanhava, só estava lá para passar novos treinos), eu perguntei quantos kgs de peso era pra colocar no aparelho para fazer o agachamento Smith, e ele disse uma quantidade que agora não me lembro exatamente, mas sei que quando eu comecei a fazer o exercício eu percebi que era peso demais, eu logo falei pra ele que tava muito pesado e ele me olhou de cima a baixo, e disse pra eu deixar de ser frouxa e que eu aguentava. Eu fiz o exercício morrendo de dor na lombar e no joelho, e com certeza de forma errada, mas o instrutor não me corrigiu ou me auxiliou. Depois desse exercício não aguentei fazer mais nenhum outro e fui para casa. Depois desse dia minha lombar e meus joelhos nunca mais foram os mesmos. Eu parei de ir na academia e fiquei só no karatê, mas meu desempenho no karatê também diminuiu porque certos movimentos fazia minha lombar e meus joelhos doerem.
Me formei na faculdade no 1º semestre de 2013 e comecei a trabalhar em julho e com isso foi ficando mais difícil ir pro karatê como antes. Além de chegar cansada do trabalho, eu também tinha dores na lombar constantemente. E eu tinha voltado a engordar de novo. No final de 2013 eu já estava com 70 kgs, tinha praticamente largado o karatê, tinha dores na lombar recorrentes e estava num relacionamento infeliz. Nesta mesma época eu conheci meu atual marido (vou chamá-lo de M) pelo Facebook. Nós já tínhamos conversado antes, anos atrás, mas não tinha dado em nada.
No começo de 2014 eu fui no meu último campeonato de karatê e terminei esse meu relacionamento com o faixa preta e comecei a sair com o M. Depois desse campeonato eu nunca mais fui aos treinos de karatê (evitava também pra não ter contato com o faixa preta), e também não malhei mais em nenhuma academia. Eu fazia caminhadas com o M ou então andávamos de bicicleta.
A vida foi ficando mais corrida e eu tinha cada vez menos motivação/ animação para atividades físicas. Fui num ortopedista para ver a situação da minha lombar e dos joelhos. Em no final de 2014 fui diagnosticada com protusão (abaulamento) discal com compressão do nervo e condromalácia patelar.
Depois de 2014 a minha vida foi a mesma coisa: vai no médico, faz fisioterapia, melhora, faz atividade física, piora, ganha peso, vai no médico, faz fisioterapia, faz atividade física, piora, ganha peso… Eu passei muito tempo indo parar na emergência do hospital para poder tomar remédio na veia para dor. Fiz muitas sessões de fisioterapia. Comecei e parei exercícios físicos várias vezes durante esses últimos anos… Atualmente eu não como tanto como eu comia como quando eu estava no karatê, mas eu tenho ansiedade também e algumas vezes isso provoca uma compulsão alimentar lascada.
Acontece que atualmente eu já estou com quase 100 kg, o problema da minha lombar evoluiu para uma hérnia de disco com compressão do nervo, o que faz doer constantemente e piora muito quando eu estou estressada. Já perdi vários dias de trabalho por causa desse problema e eu sei que estar gorda piora e muito a situação. Eu sempre ouço dos médicos que eu tenho de emagrecer para não sobrecarregar os joelhos e melhorar (pelo menos um pouco) a dor na minha lombar. Mas eu não consigo mais emagrecer. Eu engordei 20 kg a mais do peso que eu estava em 2009 quando fiz a primeira dieta.
Ao longo dos anos eu tentei uma serie de dietas, eu emagrecia, mas depois de alguns meses voltava a engordar de novo e mais ainda. A anemia que eu desenvolvi em 2009 sempre volta de tempos em tempos. Desde aquela época meus níveis de ferro e hematócrito são baixos. Meu emocional também foi muito afetado nesses últimos cinco anos, sofri uma serie de problemas no meu relacionamento e traumas. Só de imaginar as dores que eu vou sentir quando fizer algum exercício físico já me desanima o bastante para extinguir a minha vontade de sair da cama.
Atualmente só de ficar sentada por mais de 30 min minha lombar já começa a doer (igual está doendo agora ao escrever esse desabafo). Eu me sinto horrível ao me olhar no espelho. Eu tenho compulsão alimentar e ansiedade. Eu não tenho o mínimo ânimo para fazer exercícios físicos. Eu sinto dor diariamente. Eu sinto falta do karatê. Eu sinto falta do corpo bonito que eu tinha.
Meu marido já deixou claro sua preferência em ver mais magra. Ele acha ruim quando eu como algo não saudável (e eu concordo que eu não deveria comer comida não saudavel, mas algumas vezes eu não consigo evitar, o que gera a situação deu comer escondido). Algumas coisas eu como para me sentir feliz ou como quando estou ansioda. Mas logo em seguida eu me sinto extremamente culpada ao comer. O que ocasiona em crises de choro logo após comer. Quando eu não choro eu fico com raiva de mim mesma, sempre seguido de angustia e tristeza. Meu emocional parece que está sempre numa montanha russa. Altos e baixos a cada simples acontecimento.
Eu fico pensando que ficar magra vai me tornar feliz...
submitted by sugarparkjm to desabafos [link] [comments]